VENDA      LOCAÇÃO

 

NOTÍCIAS

Opções de aquecedores de água para a sua casa

26-02-2018

 

O aquecimento da água é um ponto importante para se pensar no momento de adquirir um imóvel, pois implica em planejamento no momento da construção ou em alterações na estrutura para a instalação de canos e adaptações.

A água aquecida pode alimentar chuveiros, torneiras, banheiras e até piscinas. As opções de aquecimento disponíveis no mercado são a elétrica, a gás e solar.

Os aquecedores elétricos geralmente são os mais utilizados, com destaque para os chuveiros elétricos, que apresentam instalação mais simples por não exigirem modificação na estrutura hidráulica.

Os aquecedores elétricos podem ser de dois tipos: de passagem, que são instalados diretamente nos pontos de uso, ou de acumulação, em que um grande cilindro metálico acumula a água, que permanecerá aquecida.

Os aquecedores a gás se destacaram no Brasil durante a crise de energia de 2001, por apresentarem eficiência em reduzir o consumo durante o período de racionamento. Eles podem usar gás natural ou GLP (gás de cozinha), e também podem ser divididos em aquecimento por passagem ou por acumulação.

Os aquecedores a gás de passagem aquecem a água no momento em que ela será utilizada, enquanto os aquecedores de gás por acumulação utilizam cilindros para armazenar a água já aquecida.

Já os aquecedores solares são a alternativa mais sustentável presente no mercado. O sistema é constituído pelos coletores (placas de vidro com uma camada escura) e pelo reservatório térmico, que captam a energia solar e a convertem em calor, assim aquecendo a água, que ficará armazenada em um cilindro.

Todas as opções de aquecedores apresentam vantagens e desvantagens, então é importante decidir se o objetivo é a economia a curto ou a longo prazo. O chuveiro elétrico é a forma de aquecimento que apresenta menor custo de instalação, porém alto consumo de energia, enquanto o aquecedor a gás exige mais gastos em sua instalação, assim como o aquecedor solar, que requer um investimento ainda maior, mas ambos promovem grande redução do consumo de energia ao longo de sua utilização.

Também é importante considerar o tamanho da casa, número de pontos que exigirão aquecimento, a quantidade de moradores que utilizarão os aquecedores e se o imóvel permite as adaptações que alguns produtos exigem.